sexta-feira, 28 de maio de 2010

Uma só

Eu sei que só será um. E sei que o escrevendo assim, tão precipitadamente, o arrependimento não tardará. Mas eu vi demasiados filmes sobre o Império Romano e sinto-me como em uma arena, logo: "ave, César, os que vão morrer te saúdam".

Um trecho de música. Uma frase. Pois bem, desafio difícil, pois se tenho um blog inteiro só de citações e nunca há espaço o bastante pra tudo que me bulina a alma...

Inicialmente pensei que deveria ser uma música do Chico Buarque, nunca ninguém me disse como ele o faz. Mas não. De um amor à outro logo pensei no Vinícius, um tantinho mais maroto, um pouquinho mais sexy, diria mesmo carnal. Mas, de novo, não. Escolhi então, Habanera e todas as suas alusões à inconstância do amor, mas logo antevi as queixas sobre meu exacerbado romantismo. Como estava em paragens internacionais, brinquei com a idéia de não me arrepender de nada ou de querer ser vista sempre justamente como eu estou agora.

3 comentários:

Li Unafraid disse...

Viu, Borboleta... tudo é possível na vida, até escolheres uma frase só kkkkkkkk

Adorei a análise prévia!!

Borboletas nos Olhos disse...

Se bem reparar, não escolhi (pois todas as outras estão implícitas em seus links, rsrs)...eu só privilegiei!

Nanica disse...

Genteeeeeeee! Depois de um jejum de cinco dias voltei a ter interneteeeeê! Já já vou tirar meu atraso aqui! Beijos!