quinta-feira, 13 de maio de 2010

Pré-Universitário

Minha vocação pra santa é inconteste e minha abnegação beira o limite da loucura. Desde sempre paquerando com o Q de quero (se tivesse sido pra escolher só um teria sido esse!) e só por dedicação ao blog e incrível amor a uma tarefa bem cumprida escrevo aqui no P pra fazer a máquina trabahar. Mas não pensem, mioletes (kkk), que o distante tempo está esquecido. Embora façam 19 anos que fui pré-universitária - sim, sim, nos remotos tempos do século XX, ano 91 - eu ainda lembro bem daquele ano. Recomendo que se houver na sala pré sejam retirados, meu exemplo não é bom. Ok, se for medir pelos resultados, até que nem, passei nos dois vestibulares nas duas instituições que tentei. Mas o ano, ah, o ano de preparação...Eu queria estudar, queria sim. Até me trancava de noite lá no último quarto pra fazer isso nas madrugadas de sexta pra sábado e de sábado pra domingo. Mas, bom, ehh, hummm, vocês sabem, tinha tv e na tv tinha sessão de gala e depois Corujão 1 e depois Corujão 2 e já às 04 da manhã tinha Caras e Caretas (iiihhh, pode mangar, é isso mesmo, eu via Caras e Caretas e curtia muito). Naquele tempo não havia Stallones, Van Dammes ou Chuk Norris nas madrugadas. Vi My Fair Lady, Candelabro Italiano, Suplício de uma saudade, Bonequinha de Luxo, Sabrina, Piccolino, Bonita como Nunca...ah, tantas horas inesquecíveis e, atenção, o Corujão era legendado. Sim, um minuto de reverência e silêncio. Sim, era assim. Graças ao meu período pré-vestibular hoje sou psicóloga e aficcionada pela sétima arte.

2 comentários:

Danielle disse...

Que Gabi não use seu exemplo... rsrs

Lica disse...

Ai, ai, Dani... Os filmes da madrugada não são mais como eram antigamente. Acho que a Gabi nem vai se sentir tentada...