quinta-feira, 29 de julho de 2010

"Também temos saudade do que não existiu, e dói bastante"

Ultimamente tenho pensado muito nisso, saudade tem sido um tema constante.
Saudade da infância - tempo da inocência, sem pre-ocupações. Saudade do vovô!
Saudade do colégio, do recreio (rsrs), dos professores (linda homenagem Lica).
Saudade do disco de vinil do Fábio Júnior com uma música de cada lado e que eu virava sem parar, com muito cuidado pra agulha não arranhar.Que me fazia sonhar com principes encantados.
Saudade de um tempo não muito longe, de café com a RECA
Saudade das amigas que estão mais distantes.
Saudade, saudade... todas com um sabor gostoso de bolo de laranja com cobertura de açúcar, todas muito doces, de coisas boas, que valeram a pena. É saudade feliz, apesar de doer.
Mas por falar em dor...
A saudade que tem doido mais é a saudade dos meus sonhos, do que ainda não existiu, que estão aqui bem guardadinho comigo e que nada nem ninguém pode rouba-los.
A dor de quem não sabe quando chegará o dia
A dor de quem não quer mais saber do tal "tempo", por que todos dizem que o tempo cura tudo.
"...Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que eu te digo
Tempo tempo tempo tempo
Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo
De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definitivo
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo..."

4 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Primeiro: que linda fazendo link. Amei. Segundo: infância/adolescência fofa. Terceiro: amigas distantes tem eu? Porque morro de saudade de tu. O resto vai no meu post...Bjs

Danielle Martins disse...

e tem como não ter saudade da sua doçura?

Lori disse...

Acho q tamo precisando ir na Viraverão domingo, bateu uma saudade d Haley agora!!!

Lica disse...

Saudade de vcs...
beijinhos!