sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Sampa

Nunca fui a São Paulo. Não por falta de convite, é verdade. Como diz LFV, lhe falta um certo je ne sais quoi. Eu tinha uma idéia cinza de prédios, garoa e asfalto; engarrafamento, correria e 4 horas diárias no trânsito. E aí, já viu. Não, deixe pra lá. Nunca deu vontade. 
Aí uma borboleta voou por lá. E voltou cheia de coisas bonitas na mala: parques, museus, comidas, carinho dos amigos. Não desmentiu nada da minha imagem, mas a deixou menos cinza e totalmente ível. Daí comecei a refletir sobre a minha "repulsa", alimentada por tantos anos. 
A primeira resposta veio rápido: É que Narciso acha feio o que não é espelho. Continuo achando que não vou entender a dura poesia concreta das esquinas e a feia fumaça que sobe apagando as estrelas. Mas entendam-me, saí de uma cidade grande que é 1/5 de São Paulo para um interior que é 1/10 de Fortaleza. E ainda acho ruim o engarrafamento de 3 minutos e meio em frente à escola. 
O segundo sentimento veio pior: aquela velha história de que não cultivo minhas amizades. Eu as tenho, estão ali prontas para o abraço. Mas eu não as abraço. Se eu ligar pra eles: tô indo aí, eu até suponho / imagino a festa. Mas cadê a coragem pra ligar? Não, tô atrapalhando... Eu não sou só uma, sou três. E aí o tempo vai e vai e vai. (Tomara que eles não leiam essas linhas, senão vão cobrar uma visita... kkk) 
E as respostas vão se sobrepondo e sobrepondo e tornando a velha São Paulo um destino cada vez mais longe. Mas eu espero. Espero que, tal como os novos baianos, eu te possa curtir numa boa...
P.S. Ah, eu não conheço São Paulo, mas "conheço" Guarulhos...

2 comentários:

Danielle Martins disse...

Lica, mas também tem "alguma coisa acontece em meu coração que só quando cruzo a Ipiranga e a av. São João...", tem seus encantos!

Borboletas nos Olhos disse...

Eu não sabia da lindeza de Sampa...não sabia que ia deixar meu coração lá. Não sabia que ia querer voltar. Há tanta coisa que não sei nessa vida...