quarta-feira, 7 de abril de 2010

Fora de Tempo

Eu não gosto de me atrasar.... mas este pote me exigiu um bom tempo pensando nele.

Primeiro pensei em escrever sobre a relatividade do tempo. Como minutos parecem horas ou o contrário dependendo do que estivermnos fazendo ou aguardando. Ou quanto o peru muda de gosto se for recebido antes ou depois do Natal.

Pensei na maternidade, como desde a gravidez a mulher não fica dona do seu próprio tempo por um bom tempo. Nem escolher a hora do pivetinho nascer e depois nem para decidir a hora de dormir...

Depois pensei no tempo-remédio que cura todas as feridas e nos faz suportar dores que hoje são maiores que nós mesmos.

Ai veio uma iluminação da morte, única certeza na vida. Que nosso tempo aqui na terra é indefinido e pensei no Moska (Meu amor/ O que você faria / Se só te restasse um dia? /Se o mundo fosse acabar / Me diz o que você faria) Quanto nos deixamos de fazer na falsa certeza de um amanhã. Não estou pregando a putaria generalizada ou a irresponsabilidade desmedida, mas um pouco de curtição, experimentação e outros ãos positivos.

Lembrei daquele texto "motivacional" sobre o banco dos segundos ("Imagine que você tenha uma conta corrente e a cada manhã você acorde com um saldo de R$ 86.400,00. Só que não é permitido transferir o saldo do dia para o dia seguinte. Todas as noites o seu saldo é zerado, mesmo que você não tenha conseguido gastá-lo durante o dia. O que você faz? Você irá gastar cada centavo, é claro! Todos nós somos cliente deste banco que estamos falando. Chama-se TEMPO. Todas as manhãs são creditados para cada um 86,400 segundos. Todas as noites o saldo é debitado como perda. Não é permitido acumular este saldo para o dia seguinte. Todas as manhãs a sua conta é reinicializada, e todas as noites as sobras do dia se evaporam. Não há volta. Você precisa gastar vivendo no presente o seu depósito diário. Invista então no que for melhor, na saúde, felicidade e sucesso! O relógio está correndo. Faça o melhor para o seu dia-a-dia.”).
No meu banco de segundos, curtir a família, sonequinha no sábado a tarde e reprise do futebol não são tempo perdido.

Pensei na minha mãe e na bíblia “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:01) e como isso é importante. Nada como um eu te amo na hora certa, um dinheiro emprestado no sufoco, um ombro amigo para aguentar meus choramingos e uma cantada nos dias que me sinto gorda....


Por fim, decidi dar um tempo e não gastar mais o tempo de vocês na minha escolha sobre o qual tempo escrever....

4 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Se eu passar muito tempo dizendo: eu sabia, eu sabia...vocês vão me achar muito chata? Eu sabia que a pipoca ia dar um show. Eu so não sabia que ela ia ter o gol da rodada a cada rodada, rsrs...

Danielle disse...

kakakakaka, ainda deu em ti borboleta!
amei!

Lica disse...

1) Eu adorei que você postou todos...
2) Arrasou mesmo na frase sobre a falsa certeza do amanhã.

Nanica disse...

Pipoca, só vivo imitando as meninas, adorei também! Simples e envolvente!