quarta-feira, 9 de junho de 2010

Moça precavida

Não gosto muito de pensar no tempo passado. Embora me satisfaça olhar para trás e ver as minhas conquistas, os números me assustam: 23 anos de miopia, 18 anos de amizade com a turma da ETFCE (que virou CEFET e IF), 15 anos que entrei na faculdade, 11 anos de formada, 7 anos de casada. Tenho um afilhado que hoje completa 15 anos... Ai, meus sais!

Bom, mas voltando... É isso mesmo que você leu: 7 anos de casada. Como sou 100% monogâmica, e como nós dois usamos a língua, entre outras coisas, para nos comunicar, não é de se estranhar que já tenhamos aparado quaisquer arestas da ordem de presença/ausência de ruídos, palavras e gestos. Tudo lá, discutido, debatido e publicado nos anais... Tudo em prol da SBPC.

Precavida e fresca que (também) sou, não fiz mais que minha obrigação, uma vez que não podia simplesmente vestir a roupa e ir embora, uma vez que eu e o marido moramos juntos...

meu alter-ego é precavido, como eu
                                                 'Noite, John.            Café da manhã de amanhã.

Então, o que me “brocha” hoje em dia são situações corriqueiras, ou discussões sobre outros aspectos da vida conjugal que chateiam mesmo (in the other hand, são uma ótima desculpa para fazer “as pazes”... siéqui....)

3 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

1) estamos ficando finas aqui, citações em ingrêis e tudo (other hand, é fresca mesmo)

2) Saliente você, hein, usar a língua, cuidado pode ter crianças lendo ou borboletas ruborizando em algum lugar por aí

3) Nelson Rodrigues: "O amor entre marido e mulher é uma grossa bandalheira..." dê-se ao respeito, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Lica disse...

eu uso a língua pra chupar picolé, sua indecente! kkkkkkkkkk

Danielle disse...

muito fina essas moças! Eu uso a língua pra assoviar! kkkkkkkk