segunda-feira, 20 de setembro de 2010

E de Epitáfio

Epitáfio, aquela inscrição no túmulo que, mais ou menos, faz um resumão da nossa vida. É como uma carta de apresentação, mas toda ao avesso, já que é curtinha e chega no fim de tudo (ou no fim de tudo por aqui, dessa vez, pra não causar controvérsia). Você já pensou no seu? 
Acho importante estar prevenida e já ir pensando no meu epitáfio. Claro que ele deve ser revisto mais ou menos de cinco em cinco anos. Afinal, afinal, alguams coisinhas mudam, não? Atualmente poderia ser: Borboleta, sempre com muita sede ao pote. Mas, um tempinho atrás, poderia ser: Menina, Mãe, Mulher. Antes ainda: Aqui jaz como viveu, uma pessoa feliz. De qualquer forma, gostaria que meu epitáfio retratasse uma sensação de saciedade e prazer e gratidão. Minha vida é muito boa. 

O epitáfio do Shakespeare é assim: 
Bom amigo, por Jesus, abstém-se
de profanar o corpo aqui enterrado
Bendito seja o homem que respeite estas pedras
e maldito o que remover meus ossos.

O do dublador do Pernalonga é um dos meus favoritos: That's all folks! (Isto é tudo, pessoal!) - Mel Blanc


5 comentários:

Danielle Martins disse...

Prefiro não pensar no meu agora! rsrs

Anônimo disse...

Nem eu!! Credo!! Ia ser, no mínimo, esquisito!! Ou dramático demais ou cômico em excesso...
Lara

Pipoca disse...

Ainda não sei a frase toda, mas certamente terá que "A vida é curtição"...rsrsrsrsrs

Lica disse...

A Lila podia receber royalties por essa frase...

Borboletas nos Olhos disse...

Dani e Lara, vocês estão perdendo tempo, fofas, pensar na morte é uma das mais deliciosas formas de gozar a vida.

kkkkk, Pipoca, concordo total...e idem pra Lica, kkkkkkkk