quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Infância

Vejo meus sobrinhos rindo e brincando, ou chorando e fazendo biquinho e percebo o quanto são felizes.
Acho que fui assim também. Uma criança alegre e feliz.

Minhas fotos dizem isso, sempre leves e alegres.

Minhas mães contam que fui uma menina meiga, cheia de energia, mas não danada. Mas lembro q até a adolescência engessei o braço 18 vezes (fico pensando o que é ser danada pra elas!!).

Penso o quanto seria legal lembrar de minhas experiências e traquinagens, mas não lembro, não lembro de nadinha.

Falo de lembranças visíveis na memória. Tenho lembranças táteis, lembro da sensação de andar descalça no carpete da sala da minha casa em São Paulo, mas não da casa ou do meu quarto. Lembro do sabor das frutas do sul, morangos, pessegos, nectarinas, a salada de frutas da minha escolinha. Lembro do barulho da chuva de granizo caindo. Lembro também de cheiros, meu olfato até hoje é muito bom, sabe o cheirinho do lençol da cama de nossos pais? Acho q este é o cheiro ou a lembrança cheirosa q mais representa coisas boas; aconchego, carinho; na minha infância.
Acho realmente um barato quando as pessoas me contam em detalhes um fato que aconteceu quando eram pequenas, mas de qualquer forma todas as impressões que tenho dessa época me remetem a coisas boas, ou seja, deve ter sido muito legal viver essa época e apesar de não lembrar, desejo imensamente que todas tenham as mesmas sensações boas que eu.

3 comentários:

Anônimo disse...

Nem um pouco danada!! Além dos ossos quebrados, vale tb o título de quase homicida.. kkk... A mamas conta de qndo tu tentou derrubar o Fábio (detalhe: recém-nascido) do berço com ciúmes!!
Lara

wilton disse...

Você ainda é uma menina meiga e cheia de energia e agora eu entendo porque você gosta tanto das coisas do sul... rs...
Beijo.

Lori disse...

Cara prima,
Será que dá pra não espalhar essa história do meu impulso suicida por ai?
Grata


Dr,
andas por demais gaiato!!!


beijinhos aos dois