quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Ritmo

Eu gosto de dançar. Isso, claro, não quer dizer que sei. Ou, ainda: não quer dizer que danço conforme os padrões estéticos atuais e prevalentes classificariam como bem. Mas continuo gostando e continuo dançando. No meu ritmo, que nem sempre concorda com o ritmo da música, mas é meu. Isso: dançar no meu ritmo (e é claro que é uma metáfora que serve pra tanta coisa: viver, escrever, amar...e por aí vai), foi um dos mais importantes aprendizados que tive. Um aprendizado de sociabilidade, inclusive. Porque se quero dançar no meu ritmo devo permitir que cada um dance no seu. E mais: se não tem ninguém dançando, não é motivo pra eu não dançar. 

Essa conversa toda é pra esclarecer meu posicionamento sobre o blog: ele é um espaço de amor e conversa, mas cada uma vai e vem no seu ritmo. Desde sempre eu soube que, um dia, a Lica ia se tornar esporádica, ela é famosa por seus blogcídios. Sabia, também, que Li Unafraid e Joie chegaram mais por afeto e sem hábito de se dizer em blogs. Ausências são previsíveis, especialmente nas férias ou em momentos de envolvimento com outros assuntos. Como por agora. Pipoca está grávida e trabalhando pra caramba. Mais vazios. E cada uma tem seus motivos e ritmos. O negócio é esperar. Esperar a próxima música. Pode ser que seja justamente a que convide pra se esbaldar na pista. Eu escrevo em outro blog, também coletivo. Lá, o L. escreveu um único post. Mas ainda assim é autor, tem espaço no nosso coração e reclamações. De vez em quando o blog fica semanas sem atualização. Mas é um espaço de encontro. Quase um bar preferido que se deixou de freqüentar porque é longe, mas que nunca sai das preferências.

Eu não abro mão dos espaços construídos, eu não deixo de dançar. Desajeitada e tudo, mas na pista, no meu ritmo. Tô na área, ainda tenho muita água pra derramar.

7 comentários:

Nanica disse...

Ai que fofoooooooooo!! Rsrs

Lori disse...

Gostei da metáfora bailante, que tal virar o pote?

Nanica disse...

Boa idéia!! Não precisa ser necessariamente como metáfora, pode ser tb sobre bailar literalmente, né?

Borboletas nos Olhos disse...

Já topei...pote atual: Bora bailar (metáfora ou vida real). Beijocas!

Menina no Sotão disse...

Você me fez lembrar de mio nono que dizia "não importa o que aconteça na vida, o importante é que a gente nunca deixe de dançá-la". rs
Eu também tenho hábito de cometer blogcídio. As vezes eu apenas desapareço do meu próprio blog e pronto. Mas sempre volto. É tudo temporário. É que minha dança as vezes é silenciosa e vai por outros caminhos que não esses. bacio

Lica disse...

Blogcida, eu? Imagina...
Só me afastei pra saber se iam sentir saudades...
kkkkkkkkkkk

Danielle Martins disse...

pois então já deu pra saber que sentimos muito sua falta!
Quando é mesmo o post?